Conhecido o vencedor Global Teacher Prize Portugal 2019

Fundação Galp associa-se pelo 2º ano ao "Prémio Nobel do Ensino". Professor Rui Correia vence com projeto que usa a criatividade para maximizar a atenção dos alunos

O Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, foi o local escolhido para receber a gala final do Global Teacher Prize Portugal 2019, um projeto que valoriza o papel dos Professores na educação e no país e premeia as boas práticas educacionais. Rui Correia foi o grande vencedor desta segunda edição portuguesa e levou para casa 30 000€ para a implementação do seu projeto e a oportunidade de poder concorrer à próxima edição mundial do prémio, que em 2019 foi concedido ao professor de ciências Peter Tabichi, que ensina numa escola na aldeia de Pwani, no Quénia rural.

O grande vencedor da segunda edição portuguesa é professor de história da Escola Básica de Santo Onofre, nas Caldas da Rainha, e leciona alunos de 7º e 9º ano. O seu projeto consiste em captar a atenção dos alunos através de métodos interativos e atividades práticas com o objetivo de otimizar os ciclos de concentração. A génese do projeto nasce da necessidade que existe de aumentar os níveis de atenção nas aprendizagens adquiridas, passando a mensagem que o mesmo é possível de forma divertida, e ao mesmo tempo profissional, para os alunos e para os Professores.

Com Ricardo Araújo Pereira a assumir o leme, a Gala contou com convidados especiais como o Professor e ex-ministro da Justiça Álvaro Laborinho Lúcio, parte integrante do júri que selecionou os 10 finalistas, e ainda com uma intervenção ao vivo do Secretário de estado da Educação, João Costa.

Maria Inês Rodrigues, que ocupou um lugar entre os 10 finalistas, foi distinguida com a menção honrosa atribuída pela Fundação Galp, devido ao alinhamento do seu projeto com a atuação da Fundação: explorar a ótica dos projetos educativos para a sustentabilidade e a aplicação prática dos conteúdos lecionados. A professora, que leciona 121 alunos do Agrupamento de Escolas N°1 de Gondomar, baseia as suas aulas na aprendizagem através da resolução de problemas, uma técnica moderna de ensino que aposta em vivências práticas. Os produtos desenvolvidos pelos seus alunos são, depois, implementados em comunidades em África ou em Portugal, e muitos deles têm um cariz sustentável.

A Fundação Galp apoia o projeto desde o primeiro momento como parceiro principal e de acordo com a sua diretora-geral, Joana Garoupa, acredita que a semente do futuro está interligada com o conhecimento e que esta aposta significa “garantir que as novas gerações têm o conhecimento e professores motivados e com vontade de fazer mais e melhor todos os dias”, afirmou a Diretora de Marketing e Comunicação no lançamento da 2.ª edição do Global Teacher Prize Portugal. O projeto foi criado, em 2015, pela Fundação Varkey, que tem sede no Reino Unido, com o objetivo de valorizar a profissão de docente, e está presente em 17 países, incluindo Portugal, onde chegou o ano passado, pela mão do programa Mentes Empreendedoras e do seu fundador, o economista Afonso Mendonça Reis.