Ana, Diogo, Francisco, Nuno, Sandra, Rui

São os nomes de voluntários Galp que dão do seu tempo e partilham a sua experiência, mesmo em tempos de quarentena

Ana Filipa Campos, Francisco Chagas, Nuno Chambel e Sandra Paiva são os nomes da equipa que se voluntariou para desenvolver um projeto para o Movimento Educativo quando ainda os tempos da quarentena estavam longe. O desafio veio de Sandra Aparício, responsável da Fundação Galp e da Área de Responsabilidade Social Corporativa, em conjunto com Ana Mendes, da Direção de Pessoas e procurava uma equipa que desenvolvesse um processo de procurement para uma plataforma digital da Apps For Good, parceiro tecnológico do Movimento Educativo Galpque fomenta o empreendedorismo doa jovens através da tecnologia e da promoção dos ODS.

Falam sempre em equipa e realçam que a primeira reação foi acreditar que em conjunto e com o conhecimento da direção e o apoio dos seus Leads poderiam contribuir para a iniciativa, e que após conhecerem a equipa Apps for Good já não havia como voltar atrás. Foi aí que a Ana, o Francisco, o Nuno e a Sandra tomaram “conhecimento da generosidade da equipa Apps for Good” e dos objetivos do projeto.

“Participar no desenvolvimento das capacidades e valências tecnológicas das futuras gerações, utilizando para esse efeito plataformas atuais e com alcance abrangente não é apenas um incentivo, mas também uma responsabilidade, que fizemos questão e é uma honra abraçar.”

O programa da Apps For Goodé um dos projetos desenvolvidos pelo CDI – Center of Digital Inclusion - uma ONG de inclusão e inovação social e digital, que chegou a Portugal em 2013 com o objetivo de transformar vidas através da tecnologia. Focam-se na literacia digital e nos ODS, e oferecem um programa completo, através da sua plataforma online, onde disponibilizam cursos gratuitos online, ferramentas tecnológicas e uma rede de “especialistas” que acompanham e aconselham os grupos nas várias fases consoante a expertise e as necessidades.

João Baracho, Diretor Executivo do CDI, reforça a importância do projeto e elogia a equipa Galp envolvida com a Apps for Good desde o seu início:

“O desenvolvimento da plataforma em Portugal representa uma grande responsabilidade e investimento por parte do CDI Portugal que, sendo uma pequena Associação sem fins lucrativos, não tem as competências necessárias para um processo desta natureza. Por isso procurámos entre os nossos parceiros aquele que para além do conhecimento na área de procurement fosse mais do que apenas um parceiro financeiro. E a equipa da Galp tem sido um parceiro extraordinário!”

Esta nova plataforma permitirá simplificar processos e tornar mais célere e integrado o modelo de implementação do Programa. O facto de integrar múltiplas línguas e operar em todas as plataformas permitirá acelerar o desenvolvimento internacional e ser operado com qualquer tipo de equipamento – telemóvel, tablet ou computador pessoal.

Adicionalmente, o facto de ser desenvolvida em Portugal permitirá uma maior agilidade na introdução de conteúdos e gestão integrada de todo o processo, dado que até ao momento dependiam da equipa internacional, sediada no Reino Unido, para qualquer adaptação.

A tecnologia de mãos dadas, ou de cotovelo com cotovelo, com Rui Manuel Pereira

À equipa, no sentido mais lato possível, juntou-se Rui Manuel Pereira, da área de IT&Digital. Aceitou prontamente o desafio proposto por Nuno Pedras, uma vez que uma das motivações que Rui encontrou no projeto é também um lema de vida “foco-me sempre em aprender e desenvolver algo todos os dias”. Numa primeira fase, Rui ficou com a tarefa de partilhar a sua expertise no sentido de avaliar tecnicamente as propostas de contratação, uma vez que o objetivo é o desenvolvimento de uma plataforma tecnológica de formação online.

Além de tentar, todos os dias, chegar ao final com a sensação de que está mais rico em experiência e conhecimento Rui move-se pelo bem-estar dos outros e por achar que contribuir positivamente para a experiência de outra pessoa também é seu dever.

“A ideia é tentar sempre que as pessoas me deixem com o sentimento de que também ganharam algo por estarem ao meu lado. Pode ser uma palavra, pode ser uma avaliação técnica”, remata.

Rui acredita na educação como meio de mudar e transformar as pessoas e o mundo, e que projetos como a Apps for Good têm esse poder de transformação.

“Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota”. É assim que Rui descreve a importância que dá ao voluntariado, atribuindo os devidos créditos à autora, Madre Teresa de Calcutá, Rui reforça que “independentemente do nosso credo, a importância é esta. Cada gota conta.”

To Pitch or not to Pitch, por Diogo Sousa

Numa fase mais avançada do Programa e já a experimentar a nova modalidade do voluntariado em tempos desafiantes como são os de quarentena, Diogo Sousa é outro voluntário Galp que participa, pela segunda vez, no Projeto Apps for Good como Expert. A primeira experiência foi o ano passado, com as equipas finalistas do Programa, mas a motivação que partilha ao relatar a experiência permaneceu a mesma.

“É sempre um momento crítico na viagem das equipas. Naquela altura, já na reta final, de subir ao palco. Nuns breves três minutos (que mais parecem três segundos), há que haver perícia para fazer a apresentação do projeto com eficácia e entregar o famoso “Pitch”. Não é tarefa fácil para os jovens destas equipas fazerem um bom storytelling. Há que dominar os nervos, passar as mensagens certas e estar preparado para esclarecer os júris mais curiosos.”

Desta vez, Diogo fez parte da formação online a professores da 6ª edição do Programa e o seu tema foi mais uma vez a “a arte do pitch”. Com uma diferença, via zoom, Diogo gostou da experiência, afirmando que foi um privilégio poder “partilhar algumas das minhas histórias sobre bons e maus pitches. Uma estreia e uma grande experiência.”

E você? Como pode ser um expert para estas equipas de jovens e professores?

A resposta é simples e a quarentena não é um impedimento. A rede de experts da Apps for Good sempre foi digital, para que as conversas possam sempre acontecer da forma mais ágil. Encontra toda a informação sobre o que é ser um EXPERT aqui- e de que forma qualquer pessoa, dentro da sua área, poderá fazer o registo.

Ana, Diogo, Francisco, Nuno, Sandra, Rui. O que tem este grupo de pessoas em comum? É simples, vivem o espírito e os valores Galp, acreditam no poder da educação e, acima de tudo, no poder que cada um de nós tem para mudar. Junte-se a eles!