Energy Bootcamp 2019: Fundação Galp premeia projetos escolares

O Energy Bootcamp 2019 realizou-se no CEiiA, em Matosinhos, nos dias 28 e 29 de Maio e juntou as 15 melhores iniciativas escolares realizadas este ano letivo no âmbito dos Projetos Sociais e Educativos da Galp

Criados em 2010 pela Fundação Galp, estes projetos educativos já impactaram mais de 1,5 milhões de alunos, contaram com a adesão de perto de 1600 escolas e tiveram mais de 900 projetos desenvolvidos para avaliação do júri.

Este ano letivo, de entre 1437 escolas envolvidas a Fundação Galp recebeu 150 projetos. Os 15 melhores tiveram direito a estar nesta grande final, que para além de reunir os finalistas, comemorou o dia Mundial da Energia, assinalado a dia 29 de Maio. Os alunos apresentaram, através de um pitch, as soluções que desenvolveram ao longo do ano. Havia cinco projetos finalistas para cada categoria e apenas um poderia sair vencedor.

Formalmente, estas soluções dividem-se em três cate­gorias: Missão Up, que envolve alunos do 1.º ciclo; Power Up, que se destina a alunos dos 2.º e 3.º ciclos; e Switch Up, destinado aos alunos do ensino secundário.

O alunos foram desafiados a enquadrar as suas ações e projetos na concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, contemplando os seguintes temas: Transição Energética, Mobilidade Sustentável, Tecnologia e Inovação e Empreendedorismo Social. Promover o desenvolvimento dos alunos e sensibilizá-los para a tomada de atitudes e mudança e mudança de comportamentos em prol de uma melhoria do consumo sustentável na escola, em casa e na comunidade envolvente é o grande objetivo desta iniciativa.

1/10
2/10
3/10
4/10
5/10
6/10
7/10
8/10
9/10
10/10

Na categoria Switch Up, o júri elegeu como vencedor um protótipo concebido por alunos do 11.º ano da Academia de Formação Atec, em Palmela. O projeto em questão consiste no desenvolvimento de um produto que aproveita o fluxo da água das redes da escola para gerar energia elétrica e aumentar a eficiência energética.

Na categoria Power Up, dirigida a alunos do 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico, o projeto vencedor foi desenvolvido por alunos do 7.º ano da International School of Palmela e contempla a produção de papel reciclado e de fertilizante natural para as plantas, pondo em prática o conceito de economia circular, onde não há desperdício.

Com o nome de código “Os Vigilantes do Plástico”, os 26 alunos do 1ª Ciclo do Ensino Básico da Escola Básica de Águeda venceram na categoria Missão Up com um projeto que visa diminuir a quantidade de plástico nas escolas. Para isso, conceberam umas lancheiras de cartão biodegradável.

Os projetos vencedores vão agora receber prémios entre os mil e os sete mil euros, em financiamento, para que sejam implementados.