“Queremos abrir a porta a todas as start-ups”

Com a maior participação de sempre na Web Summit, a Galp quis aproximar-se dos ecossistemas de inovação para concretizar o desafio de, em conjunto, encontrar soluções para atingir a neutralidade carbónica até 2050

A diversidade potencia o desempenho das organizações

Organizações com equipas compostas por pessoas com experiências, origens sociais e culturais diversas são potencialmente mais ricas e bem-sucedidas. Esta foi uma das conclusões de um encontro da PWN Lisbon que contou com a participação de Ana Silveira, head of External Relations & Regulation da Galp

A Galp no epicentro da transição energética

As alterações climáticas são um dos grandes desafios atuais, e um problema que ninguém resolve sozinho. Para Teresa Abecasis, a consolidação do ecossistema da Galp é a prova de que as metas só serão atingidas com este trabalho conjunto

“É preciso tornar a economia resiliente”

No pós-covid, o país precisa de ultrapassar desafios. Crescer de forma sustentada e atrair investimento internacional de qualidade, para construir um tecido industrial e empresarial variado que não assente excessivamente em determinados setores, são algumas das prioridades, acredita Teresa Abecasis, administradora da Galp

“Queremos liderar a transição energética”

A aposta nas renováveis é uma das prioridades para a Galp que já lidera na oferta solar na Península Ibérica, mas quer reforçar o seu portefólio com biocombustíveis, hidrogénio verde e lítio. Andy Brown, CEO, acredita que “estamos numa viagem muito interessante”

“As escolas não estão a preparar os alunos para os desafios do futuro”

As necessidades e os interesses dos alunos, da sociedade e do planeta não estão a ser satisfeitos pelos sistemas educativos, que têm que ser repensados com urgência. A opinião é de Valerie Hannon, consultora da OCDE no Projeto Educação 2030, que esteve em Portugal para o evento final da 7.ª edição da Apps for Good, da Fundação Calouste Gulbenkian

Helsínquia quer ser a cidade mais digitalizada do mundo

Big Data ao serviço do cidadão. É desta forma que a capital nórdica quer tirar partido dos terabytes de dados criados pela interação dos cidadãos com os diversos serviços públicos. O resultado serão novos serviços, mais adequados, oportunos e preditivos quanto às necessidades da população