Gás natural é uma energia sustentável

O gás natural terá um papel importante no paradigma energético futuro e estará incluído no mix de soluções que permitam a descarbonização da economia

Estamos numa época de transformação do setor energético muito diferente de há 10 anos. Segundo Jorge Alegria, gestor de clientes da Galp, tudo está a mudar rapidamente e a empresa também estará diferente daqui a mais 10 anos. “Irá disponibilizar todas as soluções que permitam a descarbonização da economia, num mix que poderá incluir o hidrogénio e deverá incluir, entre outros, a energia elétrica, o gasóleo com biodiesel incorporado, o biometano e o gás natural”, explica.

No seminário organizado pela GASNAM (a associação ibérica que fomenta o uso do gás natural e renovável na mobilidade terrestre e marítima) no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, sob o tema “Gás natural: A solução de mobilidade na transição energética”, Jorge Alegria defendeu que o gás natural terá um papel importante no paradigma energético futuro.

Goncalo Villaverde

O PAPEL DA GALP

“Foi a Galp que introduziu o gás natural na mobilidade em Portugal, a partir de 2011, em projetos desenvolvidos para a Carris, em Lisboa, e para a Sociedade de Transporte Coletivos do Porto (STCP)”, recorda, focando que o setor ganhou uma maior dinâmica nos últimos cinco anos, quando os veículos pesados começaram a poder mover-se a gás natural liquefeito (GNL). “Os postos de Matosinhos e da Azambuja contribuem para responder a essas necessidades”, afirma Jorge Alegria, acrescentando que o de Sines está em fase de finalização e que há mais dois, em Espanha, para assegurar o abastecimento da Península Ibérica por parte da Galp. Explica também que a rede de distribuição ainda não é suficiente, em termos gerais, para assegurar o abastecimento do mercado, mas há projetos financiados pela União Europeia a serem desenvolvidos com esse fim.

O gestor defendeu, nesse mesmo seminário, que “o gás natural é uma energia sustentável”. Primeiro, porque está presente em todo o mundo e há reservas para mais de 200 anos. Depois, porque é versátil, pois tanto é usado na mobilidade terrestre como na marítima, na indústria e nas nossas casas. Também pode ser produzido a partir de fontes renováveis, como a biomassa, por exemplo, emite menos gases nocivos para o ambiente e para a vida e o seu uso é mais económico.


O número

Segundo a GASNAM, o custo por quilómetro do gás natural é 30% mais baixo do que o do diesel e 50% mais baixo do que a da gasolina.